Todos os Nossos Ontens - Cristin Terrill

Autora: Cristin Terrill
Editora: Novo Conceito
352 páginas
Original: All of our yesterdays
Sinopse:O que um governo poderia fazer se pudesse viajar no tempo?

Quem ele poderia destruir antes mesmo que houvesse alguém que se rebelasse?

Quais alianças poderiam ser quebradas antes mesmo de acontecerem?

Em um futuro não tão distante, a vida como a conhecemos se foi, juntamente com nossa liberdade. Bombas estão sendo lançadas por agências administradas pelo governo para que a nação perceba quão fraca é. As pessoas não podem viajar, não podem nem mesmo atravessar a rua sem serem questionadas. O que causou isso? Algo que nunca deveria ter sido tratado com irresponsabilidade: o tempo. O tempo não é linear, nem algo que continua a funcionar. Ele tem leis, e se você quebrá-las, ele apagará você; o tempo em que estava continuará a seguir em frente, como se você nunca tivesse existido e tudo vai acontecer de novo, a menos que você interfira e tente mudá-lo...


Gente, pelo amor de Deus, que livro eletrizante! Estou empolgadíssima e incapaz de pensar em outra coisa após essa leitura (também conhecido como ressaca pós-livro). A capa e o nome não me chamaram atenção e eu nem ia ficar animada para lê-lo, mas a sinopse me pareceu interessante. Mas, de fato, talvez eu nem me interessasse tanto em comprá-lo se o visse em uma livraria.

O que seria um super engano, claro! Esse livro é tipo muuuito bom! É uma distopia, mas não parecido com Jogos Vorazes e Divergente. Claro, temos Em, a mocinha badass que aprendemos (pelo menos eu aprendi) a amar em poucas páginas. Mas temos também viagens no tempo, o que faz esse livro ser mais parecido com Amor Contra o Tempo. Mas de forma muito mais eletrizante.

Tá, tô repetindo demais essa palavra. Vamos à história: após a invenção de Cassandra, uma máquina do tempo, o governo cerceou a liberdade dos cidadãos e a vida de todos fica sufocante. Essa parte é mostrada apenas na lembrança de Em e Finn, fugitivos do estado totalitário e capturados e torturados. Só que Em descobre uma mensagem de si mesma no futuro pedindo que volte ao passado (usando Cassandra) para matar alguém a fim de impedir tudo aquilo. Só que eles voltaram 14 vezes ao passado e morreram em todas as tentativas. Mas decidem tentar mais uma vez.

Capa do Reino Unido, com elogios da Becca Fitzpatrick, de Hush Hush.

Em paralelo à essa narrativa, temos a história da insegura e fútil Marina - que vive há quatro anos de todo esse futuro apocalíptico - que é apaixonada pelo vizinho e amigo de infância James, mas ele parece não notá-la. Além do bem-humorado e irritante melhor amigo de James estar sempre ali para atrapalhar os momentos dos dois...

Essas duas histórias vão se cruzar quando Em e Finn retornam ao passado. Mas de uma maneira INCRÍVEL que eu não posso contar porque é spoiler!!! Mas garanto que é a partir dessa explicação do que conecta as duas histórias, vamos passar a amar mais os personagens, sofrer com eles e sentir o coração parar no clímax no final. 

Sim, essa autora pode não ter o mesmo requinte literário de outras autoras que já falei aqui, mas sabe muuito bem como contar uma boa história. E a distopia aqui não é tanto o forte como os próprios desdobramentos da viagem do tempo em si. E a autora cria personagens (tá bom, o Finn) que cativam tanto o nosso coração como o Peeta de Jogos Vorazes. E o porquê disso constitui spoiler, então só posso dizer que Finn é um dos melhores mocinhos que já vi (não só neste ano).

Em é tão incrível que eu só lamento esse livro não ser mais longo. Mas lamento muito mesmo. A autora divulgou que até tentou escrever o segundo, mas a história não fluiu. Entretanto, ela vai escrever contos sobre os personagens, o que eu torço MUITO para que aconteça. Sério mesmo.

Capa da Bulgária.


Acho que esse é um dos melhores lançamentos da Novo Conceito do ano! E com relação à capa e ao nome, eles são os originais americanos, mas pelas capas de outros países, talvez o livro chamasse mais atenção se outra fosse criada. Mas, enfim, espero que esse livro não caia no esquecimento de outros lançamentos, porque ele merece muito, muito, muito ser lido por quem adora distopias e viagens no tempo. Ou livros de ficção e romance em geral.

Avaliação (de 0 a 5): 5,0


Photobucket

Não deixe de participar do nosso top comentarista do mês

7 comentários:

  1. Oi, Mikaela!
    Gente, a cada resenha, aumenta minha vontade de ler esse livro. Mas acho que vou deixar pra 2016 porque pretendo finalizar todos os que comecei.
    Parabéns pela resenha! Ela realmente me cativou.
    Beijos
    Balaio de Babados | Participe da promoção Natal do Babado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luiza! Obrigada!
      E 2016 tá pertinho, hein? Falta pouco :)
      Vale muito a pena lê-lo!

      Bjs!

      Excluir
  2. Mikaela!
    Acabei de ler esse livro e simplesmente adorei!
    Gosto de tema como viagem no tempo e aqui foi bem escrita a forma como era feita, o que me conquistou.
    Muito feliz que a NC está investindo em títulos de distopia.
    “Temos o destino que merecemos. O nosso destino está de acordo com os nossos méritos.” (Albert Einstein)
    cheirinhos
    Rudy
    http://rudynalva-alegriadevivereamaroquebom.blogspot.com.br/
    Participem do nosso Top Comentarista de Dezembro, serão 6 livros e 3 ganhadores!

    ResponderExcluir
  3. Pelo tema do livro eu não o leria, mas pela sinopse e pela legenda, eu encararia sim, gostei bastante e realmente parece eletrizante!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paloma, a sinopse realmente fez a diferença. E eu achei muito eletrizante :)

      Bjs!

      Excluir
  4. Oiii...
    bom eu leria esse livro concerteza....amo distopia e amo volta no tempo...entao pq nao ler....as capas sao magnifica...mas segunda capa me passa um pouco de romance...e isso...otimo post...bjss..

    ResponderExcluir