Crítica - O Regresso


Após o incrível Birdman, o diretor mexicano Alejandro González Iñárritu volta aos cinemas para dirigir o belíssimo O Regresso, filme que provavelmente dará o primeiro Oscar da carreira de Leonardo Dicaprio. O filme possui grandes qualidades que não devem ser esquecidas (já que o filme está sendo lembrado por muitos como a grande chance do DiCaprio levar o Oscar), se Birdman tratava da trajetória de um artista: do sucesso a decadência, O Regresso trata da luta pela sobrevivência e pela ânsia de vingança.

Com um roteiro escrito pelo próprio Iñárritu e por Mark L. Smith, e inspirado na história real de Hugh Glass, O Regresso conta a história de Glass, que é atacado por um urso e acaba sendo deixado para morrer pela própria equipe. Lutando para sobreviver e se vingar de John Fitzgerald, Glass vai ter que sobreviver a um inverno rigoroso e aos perigos que a natureza traz.

Vale destacar um dos grandes nome desta produção: Emmanuel Lubezki. Ganhador de 2 Oscars, o diretor de fotografia faz um trabalho arrebatador e de um encanto como poucos fazem no cinema. Basicamente, se parar o filme em algum ponto você vai lhe dar com uma tomada belíssima, e isso não vale só para as cenas que temos a natureza como plano de fundo, mas também para as cenas de ação que possuem uma estética fantástica.


Sobre as atuações, temos aqui interpretações fabulosas. DiCaprio (Hugh Glass) nos entrega uma atuação quase que de corpo e alma, e te faz sentir todo o seu sofrimento na luta pela sobrevivência. Tom Hardy (John Fitzgerald) faz um vilão de arrepiar, o egoísmo do personagem é passado pela performance de Hardy de forma magnifica; e com certeza ele é quem mais se destaca no filme, a cada cena que ele aparece, a atenção lhe é roubada. Domhnall Gleeson e Will Poulter também surgem com atuações profundas e bem desenvolvidas.

O Regresso é a arte representada no cinema, um dos filmes mais belos da última década. Com uma trama envolvente e deslumbrante, apesar de certas quedas de ritmos. Além da fascinante trilha sonora e maquiagem, temos atuações grandiosas. Esse é o filme que deve ser indicado a todo mundo que ama o puro cinema.

Nota (0 a 5): 4,5


Não deixe de participar do nosso top comentarista do mês

6 comentários:

Deixe seu comentário