Jovens de Elite - Marie Lu

Bestseller do The New York Times com excelente repercussão entre público e crítica, Jovens de Elite é o primeiro de uma série de fantasia ambientada na era medieval e protagonizada por jovens que desenvolvem estranhas cicatrizes e poderes especiais ao sobreviverem a uma febre que dizimou boa parte da humanidade. Entre eles está Adelina, que, após se rebelar contra o destino imposto a ela por seu pai, encontra um novo lar na sociedade secreta Jovens de Elite, vista por alguns como um grupo de heróis, por outros como seres com poderes demoníacos. Heroína ou vilã? Num mundo perigoso no qual magia e política se chocam, Adelina descobre o lado sombrio de seu coração. Da mesma autora da aclamada trilogia Legend, Marie Lu, Jovens de Elite é o início de uma saga arrebatadora. Perfeita para fãs de histórias de fantasia medieval como Game of Thrones, com vilões dignos de Star Wars e X-Men.

Jovens de Elite
Autora: Marie Lu
Editora: Rocco Jovens Leitores
Trilogia Jovens de Elite #1
304 páginas

Avaliação: 4
 

Gente!!!! O que dizer de um livro cuja capa e título não gostei, mas a história é sensacional?

Eu comecei achando que era uma distopia como outra qualquer. Protagonista com poderes, protagonista encontra pessoas parecidas com ela, protagonista tem um lado meio sombrio, protagonista se apaixona por um mocinho badass e juntos vão tentar derrotar o vilão que aterroriza pessoas iguais a ela. Só que usando esses mesmos ingredientes, Marie Lu fez um receita bem diferente.
Adelina Amouteru foi uma das sobreviventes de um estranha febre que vitimou grande parte da população, mas ganhou marcas. Seus cabelos e cílios ficaram brancos e ela perdeu um olho. Com isso, tornou-se uma malfetto, uma pessoa com marcas deixada pela febre, sendo a vergonha da sua família, especialmente do seu pai incrivelmente insano. A única pessoa que a ama é a sua doce e linda irmã Violetta.

Mas ela também adquiriu poderes sobrenaturais após a febre, um fenômeno que acontece a alguns sobreviventes, que se tornam os Jovens de Elite (não tem quem me faça gostar desse nome, mas depois chego nessa parte rs), temidos pela Inquisição, que culpa esses jovens X-Men por todo tipo de crise e desgraça que se abate sobre a cidade de Estenzia.

Gravura de Adelina. Fonte:theyoungelites.wikia.com
Após uma tragédia que atesta o poder muito sombrio que Adelina carrega dentro de si (ela é uma ilusionista, podendo recriar até mesmo a dor), ela é salva da Inquisição por Enzo, líder da Sociedade dos Punhais, os Jovens de Elite da cidade. Com isso, ela passa a ser treinada para lutar junto com eles, mas o seu lado sombrio e as maquinações do Líder Inquisidor Teren podem por tudo a perder.

Antes de mais nada, a autora conta que escreveu Adelina para ser uma vilã. Ela não é uma mocinha com um lado destrutivo, o seu poder se alimenta de medo e ódio. E tudo o que ela toca realmente vira tragédia. Mas eu não consigo odiar a  Adelina. Cara, o pai dela era um monstro e toda a desconfiança dos outros sobre ela só faz aumentar esse sentimento de solidão no mundo.

Enzo Valenciano. Fonte:theyoungelites.wikia.com
E ela é meio tonta, também, isso é o que dá raiva. Essa história de esconder segredos dos protagonistas sempre dá encrenca. Sempre. E os sentimentos dela por Enzo ainda são meio imaturos, o que acaba fazendo com que ele não se torne o personagem muito incrível que estava destinado a ser. O romance não é bem o forte desse livro, mas parte o seu coração.

A maior parte do livro eu não sabia o que sentir. Se era simpatia pelas dores de Adeline ou apoio aos temores bem justificados dos membros da Sociedade dos Punhais como Rafaelle e outros. E quando você acha que vai ver um final bem normal, a autora mostra que NÃO está de brincadeira e que essa é uma distopia que vai fundo na escuridão dos personagens.

Eu tô ainda passada com esse final e apenas esperando MUITO os próximos livros. Marie Lu, famosa pela trilogia Legend, criou um mundo inteiro para essa história (algo bem parecido com o que Leigh Bardugo fez em Sombra e Ossos), com mitologias, livros, costumes e localizações que vão servir para os próximos. É por justamente o livro ser tão rico em detalhes que não me conformo com o nome The Young Elites, os Jovens de Elite. Espero que eu vá me acostumar nos próximos ou encontre um significado que faça mais sentido.

E espero também que os personagens e a mitologia local seja mais desenvolvida, porque quero saber mais sobre tudo!!! :D

Mas olha, se você procura uma distopia mais série, sombria e diferente, vai nessa. Se você procura uma distopia mais fofinha como A Seleção (com romances, intrigas e tudo), é melhor não ler esse, por enquanto. A menos que você queira dar uma chance para personagem realmente sombrios.

Trilogia The Young Elites
- Jovens de Elite
- The Rose Society
- The Midnight Star

Não deixe de participar do nosso top comentarista do mês

10 comentários:

  1. Oi, Mikaela!
    O nome traduzido ficou estranho, mas eu até curto o original: Young Elite (o que acho que o título br não tem nada a ver com o sentido do original, mas ok...)
    Pelo visto, eu vou terminar de ler esse livro e começar o próximo em inglês porque a ansiedade vai ser gigante.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Porcelana - Financiamento Coletivo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Luiza!
      Também tô pensando em fazer isso rsrs
      Ansiedade mode on!

      Bjos!

      Excluir
  2. Bem, eu comecei a ler esse livro mas, por falta de tempo, parei na página 50 :P Até então, gostei bastante dos personagens e do desenvolvimento da trama, deu pra perceber que realmente é bem sombria e séria, não recomendo pra quem gosta de livros mais leves. Gostei muito de saber que o final é surpreendente! Abraços :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Dan!
      Eu também tava achando o começo meio normalzinho, mas o final realmente me pegou de surpresa!

      Abraços!

      Excluir
  3. Até agora eu não tinha interesse nenhum por esse livro! Mas me interessei bastante do que você escreveu. Uma protagonista vilã? Isso parece ser interessante. uheueheuheuhe E assim como você, eu não gostei nenhum pouco dessa capa.

    Abraços,

    Blog Decidindo-se \o/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você se interessou, Vinicius! rs
      Pois é, também achei bem interessante esse lado vilã dela. Até porque os poderes dela são bem sombrios.

      Abraços!

      Excluir
  4. Oi, Mikaela! Tudo bem? Adorei a resenha! Apesar de odiar um personagem tonto, fiquei com vontade de ler o livro. Os pontos positivos que você apontou me animaram! :D

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Tony!

      Apesar da protagonista ser meio tonta, ela é bem interessante rs

      Abraços!

      Excluir
  5. Oiii!!
    Eu estava na livraria outro dia e me deparei com esse livro.
    Achei a sinopse um tanto quanto repetitiva lembrando outras distopias,mas agora que li você falando da personagem....fiquei mais curioso sobre ela do que com a própria história kkkkkkkkkk
    Gostei também desse clima meio sombrio e misterioso,acho que vou dar uma chance,apesar de ainda não ter lido nada da Marrie Lu.
    Beijos!

    http://livreirocultural.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Cláudio!

      Também nunca li nada da Marie Lu e a capa não me atraiu tanto, não. Mas acabei me interessando vendo as resenhas positivas e acabei me surpreendendo.

      Abraços!

      Excluir