Retratos falados dos meus amores impossíveis - Fabio Baptista


De uma singela cafeteria, ao último pôr do sol. Das lembranças mais doces da infância, às histórias inventadas nos bares da vida. Saudades, medos, angústias, cascas de cebola, amores eternos e corações partidos se entrelaçam nessa coletânea que explora, com beleza e sensibilidade raras, as diversas facetas dos sentimentos que nos fazem humanos.
Autor: Fabio Baptista
Ano: 2016 / Páginas: 130
Editora: FSB Books
SKOOB


Classificação: 4 estrelas

Eu leio poucos livros de contos, dificilmente eles me prendem tanto a atenção e acho que essa é a grande dificuldade do autor, prender a atenção do leitor logo de cara... e por isso eu confesso que esse livro me surpreendeu...

Logo no primeiro conto o autor narra uma cena comum, uma mulher tomando café, mas ele narra de uma forma bem descritiva e me fez ter um vislumbre do personagem e de toda a cena, quase que me transportando... e eu fui fisgada... depois desse primeiro conto, li todos um atrás do outro e reli alguns antes de escrever essa resenha...


Os contos (são 12) trazem um quê de nostalgia, tem uma "pegada" ímpar que nos remete ao passado, me fez lembrar da infância e todos tem um toque meio agridoce... as histórias são bem criativas e ecléticas, trazem uma carga emocional forte e alguns até trazem temas pesados, mas tratados de forma bem suave, sem dúvida é um livro para o público adulto.

Alguns contos são bem longos, mas o autor consegue começar e terminar a narrativa no tempo certo, sem deixar pendências, lacunas ou qualquer dúvida, além de ter um dom pra nos fazer "ver" os personagens e cenários, a narrativa nos faz perceber também os sentimentos daqueles personagens... já nos contos mais curtos, não há desperdício de palavras, tudo é descrito de uma forma bem singela e eu confesso que esses são os meus preferidos... toda uma vida resumida em poucas linhas...

As histórias são tão criativas que eu fiquei pensando em quantas delas são verdadeiras e quantas são inventadas, porque narram o cotidiano, o comum... aquilo que poderia ter acontecido comigo ou com você, mas é claro que tudo narrado de uma forma mágica... que chega a me causar um tantinho de inveja (branca, se é que existe) por não conseguir escrever com a mesma beleza e suavidade...

Acredito fortemente que temos ótimos autores nacionais e muita dificuldade em conhecê-los devido a preferência das editoras por autores internacionais, mas sempre é possível encontrar formas alternativas para sua autopublicação e o Fábio é um bom exemplo disso, seus livros estão disponíveis no Amazon em formato e-book por preços bem legais (R$ 5,99 esse e outros por R$ 1,99) e creio que vale muito a pena ler... eu já estou com um segundo livro aqui e gostando muito...

Sobre o Autor:
O autor nasceu e cresceu (bom... crescer é modo de falar, porque parou nos 1,67) em São Paulo, cidade que odeia nos dias úteis por causa do trânsito e nos fins de semana por causa da ciclo-faixa, mas de onde, num tipo de síndrome de Estocolmo Edipiana, sente saudade já no segundo dia das férias. Estudou para ser desenhista, tentou ser roteirista, acabou virando Analista de Sistemas (e tem consciência de que isso não faz o menor sentido).
Começou a escrever meio que por acaso e acabou pegando gosto pela coisa (na verdade, foi uma maneira que encontrou para economizar com terapia). Participou de algumas antologias, foi finalista do Prêmio SESC 2012, categoria contos, e finalista do Prêmio SESC 2016, com o romance “A Redenção do Anjo Caído”.
Detesta falar sobre si mesmo (principalmente em terceira pessoa) e procura escrever coisas que despertem emoções, lágrimas e sorrisos, prezando sempre pela qualidade literária.
Vem falhando miseravelmente até aqui, mas continua tentando.

Entre em contato com o autor pelas redes sociais:



9 comentários:

  1. Olá,
    Não conhecia o livro, mas gosto de contos.
    Ficarei de olho na Amazon. Adorei sua resenha.


    tenha uma ótima semana.
    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  2. Olá, Débora.
    Eu gosto muito de contos, principalmente os que flertam com a realidade da maneira que você descreveu. Essa literatura cotidiana me encanta.
    Darei uma chance.

    Desbravador de Mundos - Participe do top comentarista de agosto. Serão dois vencedores e um deles levará um vale compras!

    ResponderExcluir
  3. Olá Débora,

    Adorei a resenha e fiquei imaginando um filme já.. :D

    Um beijo,

    www.purestyle.com.br

    ResponderExcluir
  4. Olá, Débora.
    Infelizmente é uns poucos autores nacionais que conseguem contratos com grande editoras. Já li cada livro ótimo no wattpad e na Amazon, mas fazer o que, vamos torcer para que um dia isso mude. Quanto ao livro, que bom que gostou tanto. Eu não sei se leria porque não sou muito fã de contos. Sempre fico querendo mais da história.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  5. Oi, Débora!

    Muito obrigado pela leitura, fico feliz que tenha gostado.
    Só queria esclarecer que é tudo ficção.

    Bom... quase tudo rsrs

    Abração!

    ResponderExcluir
  6. Gosto muito de ler mas também não sou muito de ler contos, embora alguns tipos de contos consigam prender a minha atenção! :) Beijinhos
    --
    O diário da Inês | Facebook | Instagram

    ResponderExcluir