A Caçada dos Elfos - Bernhard Hennen

Tudo começa quando Mandred, um humano, é atacado por uma besta que aterrorizava seu povoado. Ferido, consegue escapar e acaba adentrando o Mundo dos Elfos. Ao contar sua história, consegue que a rainha do povo élfico destaque dois dos seus melhores guerreiros, Nuramon e Farodin, para ajudá-lo a caçar o monstro. No entanto, ambos têm suas próprias ambições e disputam o amor da feiticeira Noroelle, obrigada a enfrentar um exílio terrível, e pretendem resgatá-la. Nesta caçada, coragem, lealdade e amizade serão duramente postas à prova. 




A Caçada dos Elfos
Autor: Bernhard Hennen
Trilogia Elfos - Livro 01
Editora: Europa
336 páginas


Não se deve julgar um livro pela capa mesmo! A gente sabe dessa frase, mas acaba que a capa é muitas vezes um indicativo da qualidade da leitura. Nesse caso, por trás da capa aguarda um livro cheio de surpresas, velocidade de leitura e mitologia própria.
A capa não é feia. A ilustração é bonita, mas junto com a fonte do título parece algo saído de um livro amador e nem mesmo o aviso dos exemplares vendidos consegue mudar isso. Na verdade, um livro precisa parecer bom o suficiente para alguém retirá-lo da prateleira. Mas essa é a capa do original, então não há muito o que se fazer.

Por isso, eu passei tanto tempo para lê-lo (Para ser precisa, um ano após ganhar a trilogia no meu aniversário). E eu adoro fantasia, adoro temática de elfos... Vamos lá!

Mandred é um líder da sua aldeia que acaba indo parar na Terra dos Albos ao fugir de um monstro que matou os seus companheiros. Nesta terra de magia, ele é levado até a rainha dos elfos, Emerelle, que aceita ajudá-lo a derrotar a fera, na condição de que ele entregue o seu filho assim que nascer. 

Ele aceita e a soberana convoca a lendária Caçada dos Elfos para essa finalidade. Dentre os guerreiros estão Nuramon e Farondin, dois elfos que amam a mesma mulher. Mas ao contrário do que pensamos, a relação deles é tão harmoniosa quanto os elfos podem ser. Noroelle, a mulher em questão, é uma feiticeira elfa que ama os dois na mesma intensidade.

E por que isso é importante? Porque os acontecimentos da Caçada vão provocar uma virada na história - principalmente de Noroelle - que vão obrigar a todos a lutar contra vários tipos de desafio.

Não posso dizer mais do que isso, mas até o meio do livro você acha que sabe do que a história vai tratar. Depois de um acontecimento (que dá muuita raiva), tudo muda e o final não é previsível. Eu comecei detestando o jeito grosseirão de Mandred, mas você até se acostuma a esse jeitão depois. Os meus preferidos da Caçada foram os elfos Nuramon e Farandin. 

Mas quem eu gostei mesmo foi da rainha Emerelle, que toma as decisões mais difíceis sem se abalar, como uma verdadeira rainha élfica (com um coração um pouco duro, mas terno). Na verdade, senti falta da maior participação das elfas nas batalhas, Elas participam, mas o autor pouco descreve isso, deixando o destaque maior para Emerelle e Noroelle, que ficam de fora.

Eu só não dou a nota completa pela mudança brusca na narrativa no meio do livro e por algumas passagens terem sido um pouco apressadas em função do ritmo da história, enquanto outras são descritas com muita calma e paciência. Falta um pouco de equilíbrio.

Mas para quem gosta de O Senhor dos Aneis e das sagas de fantasia em geral vale a pena. A mitologia germânica é riquíssima e para quem adora a temática dos elfos é bem legal. Só não espere as histórias de amor no estilo YA. O romance é colocado de forma quase épica, bem parecido com o que vemos nos livros de Tolkien.

Acho que essa série podia até ser comprada pela Saída de Emergência porque merecia ser lida pelos fãs do gênero, especialmente os que buscam um livro mais rápido e repleto de reviravoltas. E acho que serve até como introdução para aqueles que ainda não se aventuraram muito pela fantasia.

A trilogia:
- A Caçada dos Elfos
- As Estrelas dos Albos
- As Pedras dos Albos

4 comentários:

  1. Oi, Mika!
    Menina, eu amo/odeio histórias que dão reviravoltas. Fico com a maior cara de trouxa, mas ainda assim gosto por ter me surpreendido. Anotei sua dica.
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe do sorteio de aniversário Balaio de Babados e Postando Trechos
    Participe da promoção 1 Ano de Estilhaçando Livros

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luiza!

      É verdade, fiquei me sentindo meio perdida na história. Espero que os outros livros da coleção também sejam bons.

      Bjs!

      Excluir
  2. O autor parece mesmo ser bem influenciado por Tolkien. Na capa já tem a ilustração da Herugrim, só por isso já chama uma certa atenção aos fãs de Tolkien.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Andrei!

      Só li dois livros do Tolkien, mas deu pra sentir muito a inspiração dele na criação dos personagens, especialmente os elfos!

      :)

      Excluir