Labirinto - A.C.H. Smith

(...) “Labirinto”, em parceria com George Lucas, filme que encantou toda uma geração quando foi lançado, há 30 anos, com David Bowie como Jareth, o Rei dos Duendes, e também responsável pela trilha sonora, e uma jovem Jennifer Connelly no papel de Sarah, a protagonista que deseja que os duendes levem Toby, seu meio irmão e – para seu espanto – é atendida. Arrependida, ela é desafiada pelo Rei dos Duendes a atravessar o sombrio Labirinto, repleto de perigos e seres mágicos.
A novelização de Labirinto finalmente é publicada em português, em uma edição à altura do mestre. Escrita por A.C.H. Smith em parceria com Henson, a edição apresenta pela primeira vez as ilustrações dos duendes feitas por Brian Froud, que trabalhou no filme, além de trechos inéditos e nunca vistos com 50 páginas do seu diário, detalhando a concepção inicial de suas ideias para Labirinto, comemorando os 30 anos do filme em grande estilo.

Labirinto
Autor: Jim Henson
Novelização: A.C.H. Smith
Editora: Darkside
272 páginas




Apenas imagine que um dos filmes mais marcantes da sua infância ganha uma versão em livro! Mas não é apenas um livro! Não mesmo. É um livro de capa dura, com diagramação perfeita, com detalhes da história que você não sabia e ainda com os rascunhos das primeiras ilustrações e ideias para o filme. Quer mais para entrar nesse Labirinto?



Sobre a história

A minha história pessoal com o filme Labirinto: a Magia do Tempo (1986) merece uma resenha à parte, mas, resumindo, é sobre a adolescente Sarah, que em uma noite especialmente difícil com o irmãozinho Toby, pede ao Rei dos Duendes que tire esse fardo dela. Aí que aparece o charmoso Jareth, o  Rei dos Duendes, interpretado por David Bowie (maravilhoso no papel, por sinal!), que lança o desafio para ela ter o bebê de volta: Sarah precisa atravessar o sombrio Labirinto em até 13 horas. É aí que as aventuras da menina começam, num jeito bem Alice de ser, na companhia do medroso Hoggle, do doce Ludo e do corajoso Sir Dídimo. Enquanto Sarah enfrenta charadas complicadas para decifrar um mundo que não o que aparenta, ainda precisa lidar com as armadilhas preparadas por Jareth para impedir que o pequeno Toby seja parte daquele mundo.

A minha opinião

Eu não achei que uma novelização ia lá ser muito bacana, afinal, um filme originar um livro? Mas essa é realmente bem escrita. Com tiradas inteligentes e descrições ágeis, A.C.H. Smith ainda passa os sentimentos dos personagens para o papel e, para quem é fã, isso é o melhor presente de todos. Você descobre mais sobre a vida de Sarah e até sobre os pensamentos de Jareth. 

Além disso, Labirinto é um filme incrível por guardar metáforas sobre as fases da adolescência e o livro também demarca isso muito bem. A parte do baile é realmente mais crua e descritiva do que no filme, mostrando o quanto a obra representa essa fase na vida de uma garota. Toda a jornada de Sarah ali dentro - desde as suas teimosias de início até o encontro final com Jareth- é também uma jornada de crescimento pessoal.

"Você pensa que é muito esperta", disse Hoggle. " Sabe por quê? Porque você ainda não aprendeu nada". Página 46.

Para quem ama o filme, é leitura mais do que obrigatória. É sério, gente. Não tem como deixar de ler uma preciosidade dessas.

Para quem não viu o filme, o livro parece um pouco com Alice no País das Maravilhas e O Mágico de Oz e é também muito legal. Mas não deixe de ver o filme, please!

E vamos falar da edição LUXO da Darkside, essa linda? A capa é uma réplica do livro original que a Sarah lê no filme, minha gente. A lindeza já começa daí:


- A diagramação é linda, tem ilustrações de um labirinto no começo e no final, a fonte é confortável de ler e toda a estrutura lembra aqueles livros antigos de histórias.




-Você pode ver páginas e páginas dos primeiros rabiscos de Brian Froud dos personagens que aparecem no filme.


-E o mais incrível: as primeiras anotações do Jim Henson, com a caligrafia dele, sobre as ideias do filme. Dá até pra pensar que você está realmente com o caderno dele.


-E ainda um presentinho para os fãs do David Bowie como eu: um marcador com a cena do baile (mas o livro tem marcador próprio, esse é extra).


Sem querer puxar saco, o que eu mais gosto na Darkside é que ela muda todo o design a cada livro lançado. Ela não muda só a capa e o conteúdo, ela veste o livro inteiro com a essência. E isso é mágico!

Se eu pudesse viajar no tempo e levar alguns presentes para meu eu criança, esse livro com certeza estaria na lista.


0 comentários:

Deixe seu comentário