Por que o revival de Gilmore Girls é confuso


Quando uma das suas séries favoritas ganha episódios além cancelamento, não há como descrever a ansiedade para ver os novos episódios.

Gilmore Girls foi cancelada na sétima temporada e o final nunca havia parecido um final certo, sabe? Isso porque a criadora, Amy Sherman Palladino, foi afastada na época e não ficamos sabendo qual seria o final que ela havia planejado. Com o revival produzido pela Netflix, agora sabemos. E sabe o que eu achei? [ALERTA SPOILERS]




Que a Amy parece ter raiva da Rory #brinks #maséverdade
Mas, sério, só isso explica a falta de evolução de uma personagem tão querida e que parecia tão promissora. Mas, calma, eu vou falar de todos os pontos positivos até chegar nessa parte.


Matamos a saudade de personagens como se fossem velhos amigos


Eu sempre quis saber como estariam Lane, Sookie, Michel, Emily... Como se eles realmente existissem, sabe? E, com exceções que vou pontuar ainda, eles tiveram destinos coerentes. Até mesmo a Emily, que se reinventou de uma forma pouco usual após ficar viúva (isso porque o ator que interpretava Richard, Edward Herrmann, realmente faleceu), pareceu coerente para mim. Acho que depois que você se dedica exclusivamente a alguém não é improvável que passe um tempo agindo de forma diferente. E aquele final dela, tomando vinho sozinha e contemplando o horizonte, foi tão poético, tão independente, tudo o que eu sempre quis pra ela. A Emily da série original faria isso? Provavelmente não, mas também não a vimos nunca sem o Richard, então não há como saber.


Revemos a maravilhosa Lorelai


Podem dizer o que for das teimosias dela, mas Lorelai sempre foi o destaque de Gilmore Girls, para mim. No revival, ela está afiada como sempre, cheia de referências pop e muito engraçada. Eu não consigo resistir às piadas da Lorelai, mesmo não sendo tão boas quanto na série original. Em um relacionamento estável com o Luke, gerenciando a pousada sem a Sookie e sofrendo com a morte do pai, Lorelai ainda dá umas mancadas meio incompreensíveis, mas pelo menos está realmente disposta a amadurecer um pouco mais. E a cena em que ela liga para a Emily para falar da lembrança que teve com o pai realmente me arrancou algumas lágrimas.

Vimos a importância de ser feliz sem depender de ninguém



Aos trancos e barrancos, as garotas Gilmore iniciaram um caminho na busca da própria felicidade. Emily percebeu que sua vida não precisava girar em torno de um novo homem (mesmo que Richard fosse o amor da sua vida, ela agora tem essa nova etapa de vida para conhecer a si mesma); Lorelai precisa ficar só (mesmo que por pouco tempo) para descobrir o que realmente quer para si sem a influência de mais ninguém; Rory decide escrever o seu livro no escritório que pertencia ao avô e não na casa que Logan oferece (o que para ela já é muita coisa), mostrando um recomeço ao que ela era originalmente e não a vida que passava orbitando em torno dele.

Porém, o revival foi confuso porque [MAIS SPOILERS]:

Toda a evolução da Rory foi ignorada
Ao longo das temporadas, vimos Rory cometer uma série de atitudes impensadas (dormir com o ex-namorado casado, roubar um iate, brigar com Lorelai, ir para a casa da piscina de Emily, largar Yale...), mas, ok, ela era adolescente e talvez precisasse passar por isso para poder amadurecer, né? Tanto é que o motivo de recusar o pedido de casamento de Logan é tão lúcido e maduro que você espera encontrar uma Rory mais serena e equilibrada no revival.


Que nada!

Tudo bem que não há problema em ter dificuldade de se encontrar na profissão (até acho que isso faz muito sentido com a minha geração), mas ela simplesmente enlouqueceu (ou seria a própria Amy Sherman Palladino que enlouqueceu, hein?).

Namorada de um cara que simplesmente ignora por dois anos, é amante do Logan, que está noivo de uma herdeira, parece mais confusa do que na adolescência e ainda acha que o mundo vai cair aos seus pés. A gravidez no final não é um problema em si, a questão é que o filho provavelmente é do Logan, um cara que não vai acompanhá-la nesse momento, o que a torna uma repetição da própria Lorelai.


E isso parece clichê demais para a Rory. Poxa, ela foi uma das poucas personagens das séries que se dedicava a ler muito e ainda tinha uma vida amorosa movimentada, mostrando a toda uma geração de meninas que não havia problema em ser uma "nerd", por assim dizer. Com isso, eu esperava que ela tivesse, sim, os seus próprios desafios, mas que eles fossem só dela e não uma cópia dos da mãe.

Eu esperava que a Rory viesse, sim, com a crise das pessoas da sua geração, mas com desafios um pouco mais amadurecidos do que viajar para Londres para ser amante de um cara que um dia a pediu em casamento (embora provavelmente a criadora tenha ignorado isso também) ou ir mal preparada para entrevistas ou dormir no meio da captação de uma matéria ou dormir com uma fonte. É cansativo ver uma personagem que tinha um potencial enorme de amadurecimento, ser assim aos 32 anos. Especialmente se ela foi fonte de inspiração na sua vida.


E aí? Gosta de Gilmore Girls? O que achou do revival?

4 comentários:

  1. Poxa Mika, que pena que não foi aquilo que você esperava... eu nem posso palpitar porque nunca assisti ao seriado, mas esse é sempre o problema quando criamos altas expectativas.

    beijos... fighting!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, Dé!
      Mas te aconselho a assistir, viu?

      Bjos... fighting!rs

      Excluir
  2. Mika, eu entendo perfeitamente sua opinião sobre a Rory. Lorelai esperava que a filha fosse totalmente diferente dela, que tivesse uma profissão, uma carreira e um futuro. E no final das contas acaba exatamente como ela... Não colocando a culpa na gravidez, mas no fato de Rory ser tão inteligente e centrada que não esperavamos isso dela.
    Eu esperava muito mais do revival, um casal Lori e Luke com mais sintonia; menos enrolação como aquele músical no episódio "Verão" que me deixou muito decepcionada...
    Na minha opinião poderia ser apenas os dois episódios Inverno e Outono, ou que a autora desenvolvesse melhor Primavera e Verão.
    Mas no final, foi bom rever os personagens, matar saudade da cidade e ficar com uma pulga atrás da orelha sobre a continuação...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lívia!
      Pois é, não esperávamos as atitudes impensadas da Rory, nem parecia a mesma personagem. Também achei desnecessário o drama entre Lorelai e Luke quando a gente já sabe que eles são um casal perfeito. Também não tive paciência pro musical rs
      Acho que se tirasse a enrolação, os dois primeiros episódios podiam ter desenvolvido muito melhor as histórias..
      Mas claro que eu verei a continuação, inclusive aguardo ansiosamente :D

      Bjs!

      Excluir