Animais Noturnos

Baseado no livro Tony & Susan, de Austin Wright, 'Animais Noturnos' traz de volta o famoso estilista Tom Ford a sua 2º direção depois de 'Direito de Amar' (2009), ainda mais maduro e com um trama cheia de embaraços, à primeira visão, isso pode tornar a história um pouco mais complicada para ser bem concluída, e na visão de muitas pessoas, a coisa pode se tornar mais difícil ainda para um diretor pouco experiente. Mas Ford entrega um filme visualmente belíssimo (a estética é muito presente durante todo o filme) e soberbo, e com diversas camadas narrativas, o que indica que haverá um grande trabalho teatral por parte do elenco.

Nota: 4/5

'Animais Noturnos' relata um momento específico da vida de Susan (Amy Adams). Rica, infeliz no casamento com Walker (Armie Hammer), que a trata com indiferença, um belo dia, do nada, ela recebe a primeira prova de um livro, escrito pelo ex-marido, Edward (Jake Gyllenhaal). Intitulada “Nocturnal Animals”, a novela narra a história de um homem comum (interpretado também por Gyllenhaal) que, numa viagem de férias com a mulher (Isla Fischer) e a filha (Ellie Bamber), é interceptado por uma gangue de bullies (liderados por Ray, personagem de Aaron Taylor-Johnson). O livro é dedicado a Susan que, enquanto o lê, repassa, em retrospecto, a vida com o ex-parceiro (a 
terceira linha narrativa das tramas paralelas). Uma trama dentro de outra trama é umas das coisas mais atraentes que o filme entrega ao espectador.
Já no início do filme, Tom Ford nós entrega dicas do que irá construir para desenvolver as histórias do personagens. Aparentemente, todo mundo no longa tem uma vida bela e alegre, bem socialmente e financeiramente. Assim como no mundo da arte em que a protagonista Susan possui um negócio, nem tudo é o que parece de primeiro relance. Tudo no filme muda quando Susan começa a ler o livro, uma tensão é criada em Susan e também transmitida para o espectador, através da edição e trilha sonora. A partir desse momento, o livro se torna um personagem importante para o longa.

Analisando as três narrativas do roteiro, facilmente se percebe que "Animais Noturnos" é um filme muito diferente do que nós assistimos ultimamente. Ele é ousado em termos de narrativa. Depois que a trama interna se desenvolve, o ritmo da edição é determinante, transformando a linha tênue entre as histórias, uma das coisas mais interessantes de se ver, principalmente entre as tramas do livro e o momento presente da vida real de Susan.
Para completar, o filme ainda conta com um elenco que dispõe de ótimas atuações. Amy Adams, mesmo com menos espaço do que se espera de uma protagonista em tela, está excelente no papel, sem muitos gritos ou explosões de emoções, a maioria das vezes a atriz usa apenas expressões faciais para demonstrar a infelicidade e perfeição externa da personagem. Jake Gyllenhall tem uma performance digna de uma indicação de Oscar, na minha opinião, ele é o grande destaque do filme, interpretando dois papéis, ele entrega quando necessário a dor do personagem em suas perdas e uma paixão para com as pessoas que ama. O Michael Shannon vive um policial, que investiga o caso de um dos personagens do Jake, apesar de ser um personagem de falas bem diretas e sem nada a perder. O Aaron Taylor-Johnson interpreta um sociopata em um dos melhores papéis de sua carreira. Por último vale ressaltar a participação da Isla Fischer em uma das histórias, a aparência parecida dela com a Amy Adams pode confundir de inicio o espectador, o diretor Tom Ford usa isso quase de propósito para dar uma dinâmica maior ao filme. Levando a sério o nome do filme, todos aqui são Animais Noturnos, com características diferentes e se adaptando de acordo com suas peculiaridades à situações de âmbito questionáveis em muitas vezes.
Como já dito, esteticamente o filme é muito bonito. A direção de arte e o figurino merecem uma indicação ao Oscar. Tecnicamente, o grande problema do filme é a edição de som, que muitas vezes reproduzem sons que não se conectam a sonorização ambiental da cena.

Com uma claríssima melhora no trabalho de direção de Ford, 'Animais Noturnos' é uma mistura de momentos de vida, sentimentos, julgamentos e ainda deixa a mensagem que para certas ações nossas, vão existir reações e consequências. O roteiro nos faz rever nossos conceitos para julgar determinadas situações. Nada no filme está ali por uma casualidade, Tom Ford mostra aqui que é um diretor que todos nós devemos ficar de olho e tem tudo para ter um sucesso como ele tem no mundo da moda.

0 comentários:

Deixe seu comentário