Uma Noite Como Esta (Quarteto Smythe-Smith #2) - Julia Quinn

Daniel Smythe-Smith passou três anos exilado na Itália depois de um duelo com seu amigo, o gênio matemático Hugh Prentice, e quase o fez perder uma perna. Com isso o pai de Hugh, Lorde Ramsgate, o ameaçou dizendo que se ele não saísse do país seria morto, mas um dia ele recebe a visita de seu amigo, que o libera para voltar à Inglaterra...
Ele volta justamente no dia da apresentação do Quarteto, mas encontra uma pessoa diferente ao piano (já que sua prima Sarah fingiu estar doente para não participar, Anne Wynter, a governanta das irmãs dela a substituiu), ao olhar para ela, ele fica encantado e, ao final da tortura apresentação ele corre para encontrá-la. Ao vê-la, não resiste e a beija, mesmo sem conhecê-la direito e ela, depois de um tempo escapa dele e se esconde.
Por falar em se esconder, Anne Wynter (ou melhor, Annelise Shawcross) esconde seu passado de todos, pois ela teve que se afastar de sua família, após ser enganada e humilhada por seu amado, que prometeu se casar com ela, sendo que na verdade já estava comprometido com uma mulher mais rica. Além de ter perdido a virgindade, o que já era terrível, ainda leva toda a culpa pelo que aconteceu, e por isso, ela não pode mais ter contato com a família e ela é levada para viver como governanta numa residência na Ilha de Man. Depois de um tempo, Anne foi contratada para cuidar das meninas Pleinsworth, primas de Daniel. E apesar da tentativa de manter seu passado oculto, a Lady Pleinsworth desconfiava que ela era de origem nobre e tinha motivos para negar sua criação.
Daniel, ao saber que Anne é a governanta de suas primas, resolve ir sempre à casa Pleinsworth sob o pretexto de vê-las, e sempre ia passear com elas, porque sabia que ela iria junto. E, com isso eles vão ficando cada vez mais apaixonados, mesmo que ela não adimita. Mas, o que ele não sabe, é que os segredos de Anne, vão além do tipo de criação que teve, e que agora, mais do que nunca, precisará conhecer o seu passado, pois ambos estão correndo perigo, e, desta vez, não tem nada a ver com o Lorde Ramsgate ou o duelo.
Título: Uma noite como esta
Autor: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Ano: 2017



A cada novo livro do quarteto Smythe-Smith eu me apaixono ainda mais por essa família e todos os seus personagens...

Esse segundo livro começa bem no finalzinho do primeiro livro... Daniel é irmão de Honória (protagonista do primeiro livro) e foi obrigado o fugir da Inglaterra após quase matar em um duelo um velho amigo, ele passou anos na Itália mais foi constantemente citado no primeiro livro já que sua irmã e mãe sentem muito sua falta e não fazem ideia de quando ele poderá voltar ou mesmo se irá voltar...

Eis que a oportunidade se apresenta e Daniel retorna no dia do concerto anual do quarteto Smythe-Smith, para quem já leu Os Bridgertons já sabe que o quarteto toca terrivelmente mal e só mesmo por pena é que os nobres ainda frequentam tal evento que é uma tradição na família...

Anne é a primeira pessoa de fora da família a ter que se apresentar no quarteto, até aquela data somente as primas solteiras tocavam, mas lady Sarah finge um súbito mal estar e precisa ser substituída no dia do concerto... Anne é a governanta das irmãs mais novas de lady Sarah e não lhe resta alternativa a não ser cumprir com a exigência de sua patroa...

Desde o primeiro momento em que Daniel a vê ele se interessa pela moça, o que complica bastante a vida da pobre governanta, afinal quando um conde se interessa por uma simples empregada isso geralmente não é boa coisa, e Anne já tem um passado bastante triste e traumático... mas aos poucos Daniel vai mostrando que é um homem correto e que seu interesse não é meramente físico, ele realmente que estar com ela...

É muito bonito ver o amor florescendo entre o casal e quando as dificuldades aparecem, todos ao redor de Daniel fazem de tudo para ajudá-lo e em nenhum momento tratam mal Anne por ela ser uma governanta... é bem uma história de Cinderela e quem gosta do tema com certeza vai se apaixonar por Daniel... que é um protagonista engraçado e risonho, totalmente o oposto do personagem do livro anterior.

A cada livro fico ainda mais ansiosa para ler o próximo e confesso que já estou com uma pontinha de saudade dos personagens e sofrendo por antecipação, já que na série Os Bridgertons foram 9 livros e nessa serão apenas 4... já sei que será difícil de me desapegar desses personagens que direta ou indiretamente estão presentes em tantas histórias.

QUARTETO SMYTHE-SMITH
- Uma noite como esta
- A soma de todos os beijos
- Os mistérios de Sir Richard



0 comentários:

Deixe seu comentário