The Heart of Betrayal - Mary E. Pearson

Lia e Rafe estão presos no reino barbárico de Venda e têm poucas chances de escapar. Desesperado para salvar a vida da princesa, Kaden revelou ao Vendan Komizar que Lia tem um dom poderoso, fazendo crescer o interesse do Komizar por ela.

Enquanto isso, as linhas de amor e ódio vão se definindo. Todos mentiram. Rafe, Kaden e Lia esconderam segredos, mas a bondade ainda habita o coração até dos personagens mais sombrios. E os Vendans, que Lia sempre pensou serem selvagens, desconstroem os preconceitos da princesa, que agora cria uma aliança inesperada com eles. Lutando com sua alta educação, seu dom e sua percepção sobre si mesma, Lia precisa fazer escolhas poderosas que vão afetar profundamente sua família... e seu próprio destino.


Título: The Heart of Betrayal
As Crônicas de Amor e Ódio #2
Autora: Mary E. Pearson
Editora: Darkside
395 páginas

Avaliação:

Cantei sobre atos de coragem e mágoas e esperança, vendo sem olhos, ouvindo sem ouvidos, os modos de confiança e uma linguagem de saber enterrados profundamente neles, um modo tão antigo quanto o próprio universo. Contei a eles sobre as coisas que duram, as coisas que permanecem e sobre um dragão que estava despertando.
Lia - página 342


The Heart of Betrayal apresenta um fenômeno incomum nas trilogias que eu conheço: o segundo livro supera o primeiro!

Na verdade, eu me pergunto como a autora passou tanto tempo focada no triângulo amoroso na primeira parte de The Kiss of Deception e não entrou logo na narrativa épica protagonizada por uma mocinha super empoderada.



O bom desse livro é que ele começa exatamente onde o primeiro termina, quando Lia, Kaden e Rafe estão prestes a entrar no reino de Venda. E a história não decepciona.

A história ainda conta com a entrada de novos (e interessantes!) personagens como a misteriosa Calantha, a única mulher de poder dentro do Sanctum, onde vive o Komizar; as crianças Aster, Yvet e Zekiah, umas fofas; o próprio Komizar, claro, mas depois eu falo mais dele. No geral, os personagens são muito mais interessantes do que no primeiro livro e muito mais complexos também.

O próprio desenvolvimento dos personagens é muito positivo. Acho que Kaden é o que apresenta mais complexidade e acabou ganhando minha torcida, embora eu ache que a sua relação com Venda é tão intrincada que isso poderá prejudicá-lo no próximo livro. Rafe também mostra que é um personagem mais interessante do que o primeiro livro. Mas quem acaba roubando a cena é tanto Lia quanto o Komizar.

Lia está desenvolvendo cada vez mais o Dom e está muito esperta no jogo de influências do Sanctum, lutando as suas próprias batalhas e sendo incrivelmente audaciosa (a cena do jogo de cartas é a prova disso), consolidando-se como uma das protagonistas mais espertas e girl power que eu já vi. Arrasou, menina! O triângulo amoroso é bem abordado aqui, mas como jogo de poder. Existe romance, claro, mas isso fica em segundo plano perante as estratégias da protagonista.

Embora alguns possam buscar fazer com que as coisas pareçam diferentes, eu não sou uma noiva a ser escambada para um outro reino, nem um prêmio de guerra, nem uma porta-voz para o seu Komizar. Eu não sou uma ficha em um jogo de cartas para ser jogada impetuosamente no centro da pilha de apostas (...) Eu sou uma jogadora que está sentada à mesa junto com o restante do pessoal e, deste dia em diante, vou fazer minhas jogadas conforme eu julgar adequado.
Lia - página 356

Já o Komizar, o governante da Venda, é o personagem que chama mais atenção. Não sei o porquê, mas ele me lembra muito o Negan, de The Walking Dead. É um vilão que acaba roubando as páginas para ele, pelo menos até o final do livro, quando o desenvolvimento dele apresenta um rompimento. A impressão que dá é que Mary E. Pearson desenvolveu o Komizar para ser de determinada maneira e depois mudou de ideia ao longo da história. 

Mas The Heart of Betrayal também se sustenta pela sua narrativa belíssima. É sério, é realmente uma escrita digna de um livro mais épico e mesmo que isso torne a leitura menos fluida, faz a história valer muito mais a pena.

As regras da razão constroem torres que vão além das copas das árvores. As regras da confiança constroem torres que alcançam além das estrelas
Lia  - página 291

O final tem um gancho que torna impossível não querer ler o terceiro. E a edição está linda, com a capa dura, o marcador vermelho e o mapa do mundo que Mary E. Pearson criou. A diagramação também é boa para a leitura e a tem quase nenhum erro de revisão.

O que dizer? Nem precisa indicar para quem já leu o primeiro, né? Se você ainda não leu, corre pra começar essa narrativa linda e empoderada.

A trilogia:
The Heart of Betrayal
The Beauty of Darkness

0 comentários:

Deixe seu comentário