CORRA!

Jordan Peele, GRAVEM ESSE NOME NA SUA MEMÓRIA. Ninguém esperava muita coisa de 'Corra!', longa que chegou aos cinemas americanos de "mansinho" e é primeiro do gênero suspense dirigido e roteirizado pelo Peele, que até então só tinha trabalhado em séries de TV de comédia. A película já é sucesso mundial de crítica e público nesse ano, e tem como um dos seus temas principais:  o racismo, mas o tema não é tratado de qualquer forma e em um filme de terror/suspense não é uma coisa tão fácil e comum de se fazer, pois exige qualidade do roteiro e direção.

Nota: 5/5

A trama gira em torno de Chris (Daniel Kaluuya) que é um jovem negro que está prestes a conhecer a família de sua namorada caucasiana Rose (Allison Williams). A princípio, ele acredita que o comportamento excessivamente amoroso por parte da família dela é uma tentativa de lidar com o relacionamento de Rose com um rapaz negro, mas, com o tempo, Chris percebe que há algo errado com a família de Rose, que muitas vezes se comporta e o trata de uma maneira muito estranha.
O sentimento constante de Chris de desconfiança é bem posto em tela e é transmitido também ao próprio espectador, para nos deixar com uma "pulga atrás da orelha". Principalmente, quando os funcionários negros estranhos e quase "robôs" da família surgem em tela e, a partir dai, é criado o primeiro ponto de mistério/suspense do filme. Tudo que é inserido na trama, tem o seu objetivo para com o desenvolvimento do roteiro, seja uma porta ou uma xícara. Se algo apresentado não se ater a história logo de cara, em algum momento vai ser interligado ao enredo. O que confirma o belíssimo trabalho do roteiro de Peele.
Quanto as atuações, ela dão a 'Corra!' o tom preciso. Daniel Kaluuya está ótimo na pele do Chris, ele transmite bem as sensações de estranhamento e urgência à trama. LilRel Howery faz o papel do amigo confidente, mas que sempre tira de sarro de qualquer situação, por mais complicada que ela seja. Alisson Williams interpreta a namorada parceira e meiga. Na família de Rose, cada personagem é marcante, a mãe misteriosa e centrada, o irmão que parece faltar uns parafusos e o pai que parece querer sempre agradar alguém. Os funcionários interpretados pela Betty Gabriel e Marcus Henderson, geram muitos dos momentos tensos do longa. O mais importante, nenhum desses personagens são caricatos ou forçados, cada um é distinguível e tem seu ponto marcante na história.

Deixando de lado um pouco mais o lado técnico, vale salientar que o filme é também uma crítica ao racismo, principalmente nos EUA. A crítica do longa não se refere à aquele racismo explicito, mas sim ao implícito. Sabe aquela história de "tenho amigo negros, eu não sou racista", é nessa mão que 'Corra!' trata do tema através do personagem do Chris. Existem três momentos do filme que acho que merecem sua atenção para entender a proposta do próprio: a cena do carro, a conversa com o pai da Rose e a festa.
'Corra!' é um filme bem dirigido, roteirizado, divertido, inteligente falando sobre um tema social importante e que mostra que ainda é possível, fazer um filme totalmente criativo e original em um momento do cinema mundial em que muitas produtoras preferem não arriscar em novas produções e investir maciçamente em remakes. 'Corra!' é um dos grandes filmes do ano até o momento e merece que você corra até os cinemas para assisti-lo.

PS.: Uma indicação de praxe não apenas para esse filme, mas para todos os outros filmes do cinema atual, aconselho a não assistir ao trailer. Pois o mesmo entrega algo essencial ao assistir um filme: o ineditismo. O que é claro, pode fazer sua experiência cinematográfica perder um pouco da magia.

0 comentários:

Deixe seu comentário