LIFE

O que é a vida? Será que ela existe fora do nosso planeta? Se ela existe, ela poderia ser uma ameaça a nossa raça? O que aconteceu em Marte? Essas são as primeiras perguntas feitas pelo filme para o espectador logo nos primeiros minutos de "Life".

Nota: 3,5/5

A trama gira em torno de seis astronautas de diferentes nacionalidades que estão em uma estação espacial, cujo objetivo maior é estudar amostras coletadas no solo de Marte por um satélite. Dentre elas está um ser unicelular, despertado por Hugh Derry (Ariyon Bakare) através dos equipamentos da própria estação espacial. Tal descoberta é intensamente celebrada por ser a primeira forma de vida encontrada fora da Terra, sendo que um concurso mundial elege seu nome: Calvin. Só que, surpreendentemente, este ser se desenvolve de forma bastante rápida, ganhando novas células e uma capacidade inimaginável.
Se você ler a sinopse ou assistir o trailer, vai perceber que grande parte da premissa é bem parecida com "Alien: O 8º Passageiro". Mas o ritmo dos dois filmes são bem diferentes, em "Alien" o ritmo em grande parte é lento e calculado. Já "Life" faz o contrário, não tem arrodeio e vai direto ao ponto do que se trata o filme, criando um ritmo frenético durante grande parte do longa.
O começo do filme é excelente, com um plano sequência que dura uns 10 minutos, e que vai servir para nos apresentar a Estação Espacial Internacional e de modo breve a função de cada um dos tripulantes da E.E.I.. Com a chegada das amostras na E.E.I., "Life" demonstra o quão é significativa aquela descoberta cientifica que é a mais importante da breve vida do nosso planeta, mostrando toda a movimentação na Terra, onde os terrestres chegam a nomear o alien de Calvin, que pode mudar o rumo do planeta.

Não existe protagonista no filme, o que é um ponto positivo, pois deixa o espectador no escuro para saber qual/quais personagem irá sobreviver aos ataques de Calvin. O espaço de tela para cada ator é bem dividido, para mostrar a diversidade de personalidades e pessoas que trabalham/moram na E.E.I., o mais legal disso tudo é que cada interprete tem seu momento de brilho durante o filme.
O "vilão" Calvin é tipo aqueles chefões de jogos de videogame, quanto mais você mexe com ele, a coisa fica mais feia. Mas pelo jeito alguns cientistas de "Life" subestimam o alienígena e devem odiar o ditado famoso: "Não mexe com tá quieto!". Desde o inicio do filme, vamos conhecendo o marciano aos poucos, desde suas características evolutivas até a sua inteligência fora do comum. Calvin não é um predador feroz que caça porque gosta, ele está lutando pela sua sobrevivência do mesmo jeito que os tripulantes da E.E.I., essas afirmações sobre sobrevivência podem não ficar claras de inicio, mas há uma cena que demonstra isso: a das velas de clorato.

Em certos momentos dá pra perceber que o diretor e o roteiro perde a mão, principalmente no último ato. Muitas decisões feitas pelos personagens, contradizem tudo que eles tinham feito até um determinado ponto do filme. Tornando o filme previsível, em algumas cenas. Mas o último ato é salvo pelos 5 minutos finais que são ótimos, causando dúvida no espectador sobre o destino dos personagens sobreviventes.
Apesar de alguns momentos falhos, "Life" é um dos bons filmes lançados no ano. "Life" envolve e mantém a atenção do espectador durante todo o filme e, entrega o que promete, um suspense no espaço com algo desconhecido sendo uma grande ameaça para a tripulação. Vale a pena assistir o filme e relembrar dos grandes clássicos espaciais. "Life" pode dizer: - Objetivo Cumprido!!!

9 comentários:

Deixe seu comentário