Ilha das Flores

"Existe um lugar chamado Ilha das Flores. Deus não Existe", é a partir desta frase polêmica e que causa um certo impacto nas pessoas que o curta 'Ilha das Flores' dirigido por Jorge Furtado é iniciado. A genialidade de colocar essa afirmação, tem um objetivo de nos testar, medindo o que mais choca em cada ser humano, uma simples frase ou o que vai ser mostrado depois dela no filme. "Deus não existe" também vai servir como metáfora (figura de linguagem muito presente em toda a película) para a desigualdade, um dos temas do curta; já que para 'Deus' todos são iguais perante ele, e na Ilha das Flores o 'reinado' da desigualdade se mantém firme.

Nota: 4/5

"Ilha das Flores" é para muitos, um símbolo de representação da desigualdade social. Enquanto no mundo animal, os animais tiram da natureza o que é necessário para sobreviver na sua cadeia alimentar. Os seres humanos apesar de terem um telencéfalo altamente desenvolvido, um polegar opositor e 'liberdade'; como é exemplificado no filme, através de um modesto tomate se constrói um ciclo social capitalista que é baseado em uma cadeia piramidal, na qual elementos como capital, trabalho, poder de consumo caracterizam sua posição social. Sendo assim a única forma de adquirir alimentos e posses é através do dinheiro e trabalho, arrancando dos mais desfavorecidos a oportunidade de moradia e comida.

Jorge Furtado afirma no curta que o telencéfalo altamente desenvolvido e polegar opositor deram a possibilidade ao ser humano de gerar inúmeros melhoramentos no planeta. É a partir dessa afirmação, que o diretor utiliza da ironia para fortalecer os seus argumentos. Vale destacar algumas imagens do curta que merecem a atenção do espectador: o holocausto e a explosão da bomba atômica. Em que o Jorge faz perguntas não-verbais: Será que o homem realmente provoca melhoramentos? Podemos considerar a bomba atômica, entre tantas outras criações humanas, melhoramento? Se os judeus possuem características intelectuais a qualquer ser humano, o que caracterizou o desmerecimento à vida dos próprios?
"Ilha das Flores" utiliza de metáforas e ironias de forma 'fina' para contar a sua narrativa de forma didática (talvez seja esse, o principal motivo de ser muito utilizado por professores no ensino médio e fundamental) e precisa, Jorge Furtado também se usufrui de dados científicos e históricos, e de uma constante repetições de termos para reforçar seus argumentos. A agilidade nas transmissões de informações e no pouco tempo em que as imagens se mantém na tela; rematem as coisas que muitas vezes passam invisíveis aos nossos olhos, fazendo o próprio espectador voltar a assistir o filme para gravar todas as mensagens que o diretor quer transmitir.

Ao final, uma frase de Cecilia Meirelles é citada: "Liberdade é uma palavra que o sonho humano alimenta, não há ninguém que explique e ninguém que não entenda.". Nesse momento a narrativa é rompida em um compasso que estimula a reflexão do próprio espectador, nos questionando se a liberdade é privilégio de poucos ou todos a possuem.
"Ilha das Flores" é crítico, irônico, didático e acima de tudo reflexivo. Mesmo após 28 anos de seu lançamento, o filme ainda se mostra atual e ainda impressiona quem o assiste. O curta não faz uma crítica apenas a Ilha das Flores, e sim à uma realidade que infelizmente não é tão incomum em todo o mundo. Uma realidade que muitos ignoram por diversos motivos, mas que está lá para quem conseguir ou quiser enxergar.


Não deixe de participar do nosso top comentarista do mês

16 comentários:

  1. Não lembro de conhecer esse curta mas ele chama atenção pelas coisas que retrata. A forma como os humanos tratam o mundo, uns aos outros, as desigualdades e as ideias de "melhoramento" como disse ali....parece legal ver essas coisas assim, ainda mais pela forma como é falado. Faz pensar e repensar em muitas ideias. Parece que pelo jeito que é contado causa um impacto legal.
    É pra fazer a gente refletir e mesmo sendo um pouco antigo ainda parece bem atual.

    ResponderExcluir
  2. Parece ser uma obra bem interessante.
    Essa questão da ironia e do tema ser de grande reflexão, me chamou bastante a atenção.
    Confesso que não estou numa vibe boa para assistir curtas/filmes, mas anotei essa dica.
    Beijos
    Caroline Garcia

    ResponderExcluir
  3. Oi.
    Realmente deve ser bem impressionante e até mesmo chocante. Parece proporcionar uma grande reflexão. No momento estou fugindo desses temas, tanto para filmes como livros, mas para quem procura algo nesse estilo, a dica deve ser bem interessante.
    Obrigada.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Esse curta parece ser bem interessante é diferente dos filmes atuais .
    Apesar de parecer ser uma boa obra agora eu não assistiria, mas quem sabem em um futuro breve .

    Bjo

    ResponderExcluir
  5. Nunca havia ouvido falado desse curta e realmente a frase de efeito dele é bem impactante porém ao descobrir que fala sobre desigualdade já me interesso em assistir, é um tema importante e que é necessário ser falado por existir em peso na nossa sociedade.

    ResponderExcluir
  6. Oi, esse nome não me é estranho, mas não lembro de onde. Não tenho muito costume de assistir documentário, e fujo de assuntos polêmicos, mas eu acho que hoje em dia a gente tem acesso a tanta informação, que o importante é ir atrás de algo que nos faça refletícia, que nos faça melhorar.

    ResponderExcluir
  7. E a primeira vez que vejo falar deste curta, e fiquei impressionada pela forma como e usado para a didática, já que me pareceu ter muitas metáforas que nos faz refletir sobre diversos assuntos, outro ponto citado por você e que apesar de se um filme antigo ainda sim retrata tanto a realidade atual. De forma geral me interessei bastante em assistir e poder tirar minhas próprias conclusões.

    Participe do TOP COMENTARISTA de Julho, para participar e concorrer aos livros "O Casal que mora ao lado" e "Paris para um e outros contos".
    http://petalasdeliberdade.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Não tinha conhecimento dessa mensagem e nem dessa frase, mas ao ler realmente te faz pensa bastante sobre a forma que ela fala sobre a vida é como vivemos ela, e na forma que damos valor e não. Super interessante isso é sempre bom compartilha isso.

    ResponderExcluir
  9. Ah, o ser humano. Como bem citado no início, os animais retiram somente aquilo de que precisam da natureza, já o ser humano não tem respeito algum pela natureza. Isso é bem contraditório já que somos os seres "pensantes" nessa equação.

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bom?
    Ainda não conhecia esse curta metragem, mas me pareceu muito interessante. Não é o que estou acostumada a assistir, mas daria uma chance à ele. Parece ser bastante reflexivo. Dica anotada. Adorei a sua crítica sobre ele.

    Beijos, Rob
    www.estantedarob.com.br

    ResponderExcluir
  11. Deve ser um curta de pura reflexão!
    Ainda não vi, porém fiquei bastante curiosa.
    Legal as coisas que o curta retrata! Deve ser muito bom! Nunca assisto a coisas assim, então vou dar uma chance!

    ResponderExcluir
  12. Andrei!
    Confesso que mesmo o filme tendo tantos anos, nunca tinha ouvido falar sobre ele e fiquei bem curiosa em poder assistir, afinal, tem um tema bem atual, mesmo depois de tantos anos e devemos sempre discutir o assunto, porque é de grande importância.
    Bom final de semana!
    “Ciência é conhecimento organizado. Sabedoria é vida organizada.” (Immanuel Kant)
    Cheirinhos
    Rudy
    TOP COMENTARISTA DE JULHO 3 livros, 3 ganhadores, participem.

    ResponderExcluir
  13. Olá Andrei ;)
    Não conhecia o curta ainda, e acho que nem o diretor, mas Ilha das Flores parece bem interessante, principalmente por falar de temas como essa desigualdade social que nosso país tanto sofre.
    Legal que são utilizadas metáforas e ironias, e que é reflexivo.
    Adorei sua indicação, obrigada!
    Abç

    ResponderExcluir
  14. Ja ouvi falar, mas nunca assisti. Mesmo sendo impactante, não curto muito. No momento prefiro coisas mais alegres.

    ResponderExcluir
  15. Oi, tudo bom?
    Eu não conhecia esse curta, mas parece ser interessante, pois é bem reflexivo né, a desigualdade é algo visível em nossa sociedade, e algo que realmente deve ser discutido principalmente sobre o preconceito existe, tentarei assistir o mais breve possível.
    Beijos *-*

    ResponderExcluir