Pequenas Grandes Mentiras - Liane Moriarty

Todos sabem, mas ainda não se elegeram os culpados. Enquanto o misterioso incidente se desdobra nas páginas de Pequenas grandes mentiras, acompanhamos a história de três mulheres, cada uma diante de sua encruzilhada particular. Madeline é forte e passional. Separada, precisa lidar com o fato de que o ex e a nova mulher, além de terem matriculado a filhinha no mesmo jardim de infância da caçula de Madeline, parecem estar conquistando sua filha mais velha. Celeste é dona de uma beleza estonteante. Com os filhos gêmeos entrando para a escola, ela e o marido bem-sucedido têm tudo para reinar entre os pais. Mas a realeza cobra seu preço, e ela não sabe se continua disposta a pagá-lo. Por fim, Jane, uma mãe solteira nova na cidade que guarda para si certas reservas com relação ao filho. Madeline e Celeste decidem fazer dela sua protegida, mas não têm ideia de como isso afetará a vida de todos. Reunindo na mesma cena ex-maridos e segundas esposas, mães e filhas, bullying e escândalos domésticos, o romance de Liane Moriarty explora com habilidade os perigos das meias verdades que todos contamos o tempo inteiro. 

Título: Pequenas Grandes Mentiras
Autora: Liane Moriarty
Editora: Intrínseca
Ano: 2017
400 páginas



Já está decidido: eu amo os livros da Liane Moriarty! Só agora, ao fazer a resenha, eu percebi que são 400 páginas. E passou tão rápido! É uma história tão deliciosa de ler, tão envolvente e tão bem desenvolvida, que eu praticamente não largava o livro.



Um enredo totalmente intrigante

Assim como em O Segredo do Meu Marido, a história se passa sob o ponto de vista de três mulheres: a impetuosa Madeline, a bela e frágil Celeste, e a misteriosa Jane. Os filhos das três estudam na mesma escola (uma prova de que escolas públicas parecem funcionar na Austrália, já que crianças ricas e mais pobres frequentam o mesmo lugar) e todas as mães se conhecem.

Acontece que a filha da sofisticada Renata acusa Ziggy, filho de Jane (mãe solo, inclusive), de ter praticado bullying contra ela. Aí as mães tomam lados e a guerra fria começa.

Tudo poderia ser parte de um enredo comum e apenas levemente engraçado se já não soubéssemos logo nas primeiras páginas que aquela história vai resultar em morte em uma comemoração da escola.

Agora, os detalhes do que vai acontecer vamos construindo ao conhecermos mais os personagens. Mas eu fiquei completamente chocada com o final.

Personagens tão reais que é impossível não gostar


Madeline poderia ser a típica chatinha controladora, Jane poderia ser desinteressante e Celeste seria coitadinha demais nas mãos de outro escritor ou escritora. Mas pela escrita de Liane Moriarty, elas ganham vida e personalidade!

E não somente elas, mas todos os personagens que aparecem somente pelo ponto de vista delas. Em meio a comentários fúteis e preocupações bobas, vamos identificamos um pouco de nós mesmos e de pessoas que conhecemos.

Além disso, nos importamos de verdade com todos eles. Em algumas passagens, a vontade que dá é de abraçar algumas personagens e de conversar com elas como amiga. Nos livros da autora não existem muitos vilões propriamente ditos e mesmo a pessoa que tem nesse é construída com várias facetas (apesar de eu odiar com todas as minhas forças).

A beleza da amizade entre mulheres

Tem muitas histórias que adoram explorar a rivalidade entre mulheres e colocá-las sempre como vilãs umas contra as outras. Em Pequenas Grandes Mentiras, vemos que cada uma tem a sua mentira, aquela verdade inconveniente que precisam lidar ou aquele segredo terrível que precisam manter.

Claro que as briguinhas entre as mães são abordadas, mas quando se trata de sentimentos mais profundos, como a maternidade, o amor a si mesma e a sororidade, percebemos como as personagens têm mais em comum do que imaginam.

E é lindo ver isso escrito de forma tão madura, sem que precise ser sentimental demais. Ah, destaque para uma cena incrível no final do livro quando essas diferenças são postas para trás rapidamente em um determinado acontecimento.


No geral, Pequenas Grandes Mentiras é um livro repleto de ironia, diálogos ágeis, situações corriqueiras e assuntos tenebrosos (como violência contra a mulher e bullying escolar), trazendo, ao longo de tudo isso, uma mensagem de amor próprio, companheirismo e coragem.

É um dos meus livros favoritos do ano, é uma série elogiadíssima na HBO (com Reese Whiterspoon, Nicole Kidman e Shailene Woodley no elenco) e merece muito, mas muito mesmo, ser lido e guardado com carinho no coração.

Obs: a editora poderia ter sido melhor ao traduzir a profissão de Jane. No livro, eles falam que é guarda- livros, mas ao ver a série, eu percebi que a tradução mais correta seria contadora.


Confira o trailer da série:


Olha também a linda abertura da série:




Não deixe de participar do nosso top comentarista do mês

16 comentários:

Deixe seu comentário