[Resenha] Até que a Culpa nos Separe - Liane Moriarty

Amigas de infância, Erika e Clementine não poderiam ser mais diferentes. Erika é obsessivo-compulsiva. Ela e o marido são contadores e não têm filhos. Já a completamente desorganizada Clementine é violoncelista, casada e mãe de duas adoráveis meninas. Certo dia, as duas famílias são inesperadamente convidadas para um churrasco de domingo na casa dos vizinhos de Erika, que são ricos e extravagantes.
Durante o que deveria ser uma tarde comum, com bebidas, comidas e uma animada conversa, um acontecimento assustador vai afetar profundamente a vida de todos, forçando-os a examinar de perto suas escolhas - não daquele dia, mas da vida inteira.





Título: Até que a Culpa nos Separe
Autora: Liane Moriarty
Editora: Íntrinseca
Ano: 2017
Número de páginas: 464

Avaliação (de 0 a 5): 4,0

Você sabe que Liane Moriarty chegou ao nível de excelência como escritora quando ela lança um livro com boa qualidade e não alcança as expectativas dos fãs. Mesmo não sendo à altura de Pequenas Grandes Mentiras e O Segredo do Meu Marido, Até que a Culpa nos Separe ainda é bem legal. Manda mais livros, Liane Moriarty!


Sobre o que é o livro

Até que a Culpa nos Separe é sobre as consequências de pequenos momentos e a culpa que vem delas. Erika e Oliver são um casal certinho, sem filhos, cheios de traumas de infância e que querem fazer tudo dar certo. Clementine e Sam têm duas fofas (e irritantes) filhinhas, são mais relaxados e aparentemente felizes. Vid e Tiffany têm uma única filha, são ricos, sedutores e representam um ponto fora da curva nas vidas dos outros casais.

Algo traumático acontece no churrasco que Vid e Tiffany oferecem. Depois do que aconteceu, as relações de uns com os outros e com eles próprios mudam radicalmente. Erika e Clementine são amigas de infância, mas existem mágoas escondidas na relação. Os capítulos se alternam entre relatar o que aconteceu no dia do churrasco e mostrar como os personagens estão levando a vida atualmente. O segredo é revelado quase no final do livro e a reverberação do que aconteceu continua até as últimas páginas.

Porque a história poderia ser melhor

Mais uma vez, eu ressalto: não é que a história seja ruim, mas é porque estamos acostumados a um nível de qualidade bem maior. Liane Moriarty normalmente nos envolve no mistério da obra para nos surpreender com um final de tirar o fôlego. Nesse meio tempo, mergulhamos mais nas vidas dos personagens.

Em Até que a Culpa nos Separe, o tal segredo ainda surpreende, mas o impacto é menor do que imaginamos. Acho que talvez a autora tenha imaginado algo mais grave no começo e optou por atenuar a situação.

De todos os personagens, o que eu gostei mais foi da obsessiva Erika. Senti muita empatia por ela, por tudo o que ela sofreu no passado, e fiquei um pouco decepcionada com a resolução rápida dela no final. Normalmente eu gosto de todos os personagens, mas Clementine é meio irritante e autocentrada.

Sam também não é tão carismático como Oliver, marido de Erika. Acho que o casal é a parte mais sem graça do livro. Já Tiffany é um fator surpresa que desafia o que pensamos dela, enquanto Vid é o mais superficial de todos, embora não seja uma pessoa má.

Vale a pena ler, mas não é o melhor

Eu indicaria todos os livros da Liane Moriarty, simples assim. Ela é uma das minhas escritoras favoritas da atualidade e, assim como até mesmo a rainha Jane Austen e a diva J.K.Rowling, escreve livros que não são tão bons quanto seus maiores sucessos.

Até que a Culpa nos Separe é divertido de ler, prende a nossa atenção, faz com que tomemos os partidos dos personagens e fiquemos imersos na leitura até o final. Não é o melhor da autora, mas é melhor do que muitos dos que vemos por aí.

1 comentários:

  1. Mikaela!
    Gosto muito quando a autora disseca a personalidade dos personagens, porque conseguimos entendê-los e compreender melhor toda a trama.
    Esepro que a mudança da estrutura dos outros livros da autora, tenham sido para melhor. Gosto quando há estrutura familiar.
    Fiquei com a maior vontade de ler, mesmo dizendo que poderia ter sido melhor...
    Desejo um ótimo domingo!
    “Que o novo ano que se inicia seja repleto de felicidades e conquistas. Feliz ano novo!” (Desconhecido)
    cheirinhos
    Rudy
    1º TOP COMENTARISTA do ano 3 livros + Kit de papelaria, 3 ganhadores, participem!

    ResponderExcluir