[Oscar 2018] A Forma da Água


Uma história de amor num mundo mágico e misterioso na América em 1963. Elisa (Sally Hawkins) é uma zeladora muda que trabalha em um laboratório onde um homem anfíbio está sendo mantido em cativeiro. Quando Elisa se apaixona com a criatura, ela elabora um plano para ajudá-lo a escapar com a ajuda de seu vizinho. O mundo exterior do laboratório, no entanto, pode revelar-se mais perigoso para o homem anfíbio do que Elisa poderia ter previsto.

Nota 4/5

Direção: Guillermo del Toro
Elenco: Sally Hawkins, Octavia Spencer, Michael Shannon e Richard Jenkins.
Indicações ao Oscar: Melhor Filme, Melhor Diretor, Melhor Atriz (Sally Hawkins), Melhor Roteiro Original, Melhor Ator Coadjuvante (Richard Jenkins), Melhor Fotografia, Melhor Atriz Coadjuvante (Octavia Spencer), Melhor Direção de Arte, Melhor Figurino, Melhor Edição, Melhor Trilha sonora, Melhor Mixagem de som, Melhor Edição de som.

Esse era o meu filme favorito entre os indicados ao Oscar, mas fiquei um pouquinho desapontada ao assisti-lo. Claro que ele é uma obra impecável, com todas as qualidades de um excelente longa. A única coisa que faltou foi o coração.

Sobre o que é A Forma da Água?


Na década de 60, Elisa (Sally Hawkins, de Blue Jasmine), tímida zeladora muda, trabalha em um laboratório com segredos do governo. Tudo muda quando uma criatura aquática (Doug Jones, de O Labirinto do Fauno) é trazida e a protagonista fica encantada. Como ela se comunica por linguagem de sinais, a moça consegue encontrar uma forma de falar com o "experimento" e se apaixona por ele.

Elisa e a criatura.

Só que o cruel Coronel Strickland (Michael Shannon, de Animais Noturnos) não tem bons planos para a criatura, o que torna urgente que Elisa salve o seu grande amor com a ajuda da colega Zelda (Octavia Spencer, de A Cabana) e do vizinho Giles (Richard Jenkins, de Kong: A Ilha da Caveira).

Por que A Forma da Água fez tanto sucesso?


O filme é praticamente uma versão adulta e complicada de A Bela e a Fera, carregando os tons sombrios e fantásticos das obras de Guillermo del Toro (quem lembra do clássico O Labirinto do Fauno?), sendo embalado pelas músicas dos anos 60 (contando até com a brasileira Carmen Miranda na trilha sonora).
Um vilão realmente de dar raiva.

No entanto, tudo parecia uma bela obra de arte, mas sem coração. O romance, tão bem orquestrado, não emocionou muito. Claro que não dava para a criatura se expressar da mesma forma que Elisa, mas, em alguns momentos, parecia que a moça era mais envolvida do que ele.

O clímax do filme também pedia por um pouco mais de emoção, mas eu não senti muito isso. O que eu gostei mais foi da cena final. É bem del Toro, bem o que eu esperava para esse filme. Mas até mesmo essa cena careceu de mais sentimento.

Será que vale o Oscar?


Sem dúvida nenhuma! A obra é extremamente bem realizada, tudo é feito com perfeição, é exatamente o tipo de filme que todo mundo espera que ganhe estatuetas.

E, de fato, a fotografia e a direção são impecáveis. As atuações, então, nem se fala. Sally Hawkins traz a força e vulnerabilidade de uma protagonista que nunca havia conhecido o amor, enquanto Octavia Spencer rouba a cena como a amiga leal e esperta.

O romance com tons sombrios

É um filme lindo, sem sombra de dúvida. A temática pouco usual, o romance com ares de "conto de fadas", a atmosfera sombria, tudo isso agrega valor ao longa para que ele se destaque cada vez mais nas premiações. Ele é um grande candidato ao Oscar de Melhor Filme.

A quem eu recomendo?


Acho que os fãs de O Labirinto do Fauno vão querer assistir essa obra, impossível não detectar a assinatura do diretor em todos os detalhes do longa. Quem curte filmes com uma pegada sombria e romances diferentes (como Edward, Mãos de Tesoura) podem gostar da história.


As cenas sob a água são um belo trabalho da Fotografia

Eu só não recomendo para quem não suporta ver violência gráfica (embora não seja como um filme do Tarantino, A Forma da Água tem a sua cota de cenas sangrentas). E para quem acha que ele é fofinho e puro como A Bela e a Fera... Bem, prepare-se para algo muito mais ousado.

A Forma da Água é um filme que merece ser visto no cinema e é um dos melhores indicados ao Oscar neste ano!

Veja o trailer:


0 comentários:

Deixe seu comentário