[Resenha] O Segredo de Helena - Lucinda Riley

Quanta verdade o amor é capaz de suportar?

Helena nunca esqueceu o verão que passou na mágica Pandora, a casa de seu padrinho no Chipre, onde, cercada por oliveiras e pelo verde-esmeralda do Mediterrâneo, ela se apaixonou pela primeira vez, aos 15 anos.

Mais de duas décadas depois, tendo herdado a antiga propriedade, ela retorna a Pandora para mais um verão, dessa vez em companhia do marido e dos filhos. No entanto, Helena sabe que voltar àquele lugar pode trazer à tona segredos que ela preferia esconder.

Um desses segredos envolve Alex, seu filho mais velho, fruto de uma relação anterior a seu casamento. Com uma inteligência acima da média, ele vive a difícil transição para a vida adulta e está determinado a descobrir a identidade de seu verdadeiro pai.

Enquanto o verão avança e pessoas do passado de Helena reaparecem, Pandora parece pronta a revelar os mistérios que ocultou por tantos anos e que, uma vez descobertos, farão com que a vida de Helena, e de sua família, nunca mais seja a mesma.


Título: O Segredo de Helena
Autora: Lucinda Riley
Editora: Arqueiro
Ano: 2018
Quantidade de páginas: 464

Avaliação (de 0 a 5): 4,0

O Segredo de Helena é o primeiro livro da Lucinda Riley que eu li. Primeiras impressões? Drama familiar com reviravoltas novelescas e passagens de aquecer o coração. É um livro para ler com tranquilidade, de preferência para quem procura enredos descomplicados e uma narrativa envolvente.



Sobre o que é O Segredo de Helena

A linda e equilibrada Helena decide passar as férias com a família na casa que herdou do padrinho, no Chipre. Com a promessa de férias divertidas, Alex, o seu filho mais velho (cuja identidade do pai é um mistério para o garoto), William, o marido, e os filhos pequenos do casal embarcam nessa viagem. Quem se junta ao grupo é Chloë, a filha do outro casamento de William, um casal de amigos com dois filhos, além de uma amiga de Helena.

A beleza mediterrânea do Chipre (foto Pureviagem)
Se juntar um grupo numeroso de pessoas em uma casa isolada é indício de confusão, agora imagine com a aparição do bonitão Alexis, o primeiro amor de Helena. É que Pandora, a bela casa com descrições de encher os olhos, foi o palco de sua primeira paixão na adolescência e guarda segredos da família desde então. Com os novos visitantes, temos drama tanto da parte dos adultos quanto dos (pré) adolescentes que estão dividindo o mesmo teto, o que adiciona mais divertimento à trama.

A narrativa se divide em duas épocas (e em certo capítulo, em três). O começo se passa em 2016, com Alex adulto visitando Pandora e redescobrindo o diário que mantinha há 10 anos, na época em que passou férias no lugar. É a partir dessa leitura que voltamos ao passado e contamos ainda com capítulos do ponto de vista de Helena e de William. Pode parecer confuso, mas o vai-e-volta de pontos de vista é equilibrado e as passagens de tempo acontecem poucas vezes na história.

Como são os personagens de O Segredo de Helena?

Sabe as novelas do Manoel Carlos? Com aqueles personagens complexos, levemente endinheirados e cheios de segredos? É bem nesse estilo. Helena é aquela personagem de beleza mítica e segredos complicados que a levam a inventar uma teia de mentiras para assegurar o bem-estar da família. O jeito distante dela não me cativou logo de início, embora dê para compreender muito bem as suas motivações no final do livro.

- É comum eu pensar na vida como uma viagem de trem - disse mamãe, de repente.
- Em que sentido?
- Bem, ali vamos nós, chacoalhando em direção ao futuro, e existem aqueles momentos ocasionais em que o trem para numa estação bonita. (...) Creio que esses são os momentos que a maioria dos seres humanos descreveria como "felicidade". Só que aí, é claro, a gente tem que voltar para o trem e continuar a viagem. Mas nunca esquece esses momentos de pura felicidade, Alex. São eles que nos dão forças para enfrentar o futuro: a convicção de que vão surgir outra vez. E eles vão, é claro.
Página 457

O personagem mais bem trabalhado é Alex. Vemos os seus desabafos juvenis (e por vezes até machistas, como costumam ser os meninos inseguros dessa idade) evoluindo para percepções mais adultos e um amadurecimento ao longo da história. A diferença para o Alex do presente é notável, o que mostrou que ele foi o personagem que foi construído mais cuidadosamente pela autora.

Alguns personagens, no entanto, só existem para orbitar em torno de Helena e proporcionar as reviravoltas de enredo, como Alexis. Além disso, devido à grande quantidade de pessoas presentes na história, o enredo principal pode demorar a se desenvolver enquanto as tramas paralelas acontecem.

Vale a pena a leitura?

O grande atrativo de O Segredo de Helena não é tanto o segredo em si (que dá para descobrir facilmente no meio do livro), mas as camadas de segredos e histórias que foram construídas em Pandora. O drama familiar, o amor que mantém os familiares unidos e a compreensão mútua entre gerações são o toque especial que a obra tem.

Na minha opinião, o maior defeito do livro é a quebra do ritmo entre um segredo e outro que faz a história perder um pouquinho de velocidade. As descrições do Chipre e das conversas dos personagens podem cansar os leitores que desejam uma história mais imediata, mas podem agradar os que gostam de saborear uma narrativa e se sentir no local.

A capa é linda, do tipo que realmente chamaria a minha atenção na livraria. Na revisão do livro, no entanto, encontrei alguns errinhos que poderiam ser facilmente evitados, mas nada que atrapalhe a leitura.

Quem não é muito chegado em um drama familiar, não espere outra coisa desse romance. Mas quem gostou de Provence, dos livros de Debbie Macomber e das outras obras de Lucinda Riley, certamente vai embarcar na história. E quem procura uma história bonita sobre família, tem grandes chances de se deleitar.

1 comentários:

Deixe seu comentário