Eu Perdi o Rumo - Gayle Forman

Freya perdeu a voz no meio das gravações de seu álbum de estreia. Harun planeja fugir de casa para encontrar o garoto que ama. Nathaniel acaba de chegar a Nova York com uma mochila, um plano elaborado em meio ao desespero e nada a perder. 

Os três se esbarram por acaso no Central Park e, ao longo de um único dia, lentamente revelam trechos do passado que não conseguiram enfrentar sozinhos. Juntos, eles começam a entender que a saída do lugar triste e escuro em que se acham pode estar no gesto de ajudar o próximo a descobrir o próprio caminho. 

Contado a partir de três perspectivas diferentes, o romance inédito de Gayle Forman aborda o poder da amizade e a audácia de ser fiel a si mesmo. Eu Perdi o Rumo marca a volta de Gayle aos livros jovens, que a consagraram internacionalmente, e traz a prosa elegante que seus fãs conhecem e amam.

Esse foi o primeiro livro que li da autora e eu estava bem curiosa para conhecer, já que ela é muito famosa e vários livros dela já me foram recomendados... esse inclusive está sendo muito elogiado no skoob e li várias resenhas favoráveis... talvez justamente pelo meu excesso de expectativas eu tenha me decepcionado tanto com o livro, ou talvez essa não seja uma das suas melhores obras, só sei que para mim não funcionou...

Bem, a escrita da autora é algo notável, é fluída e quando você vê já acabou o livro... mas a história em si e os personagens não me agradaram, não houve empatia e achei tudo muito superficial e sem sentido... a história toda se passa em apenas um dia e talvez por isso também é que eu não senti muita ligação com os personagens...

A história mostra três jovens que estão perdidos na vida e acabam se envolvendo um pequeno acidente no Central Park em Nova Iorque, ficamos sabendo do passado dos personagens e o que os levou até ali através de flashbacks...

Freya é uma jovem cantora que alcançou fama através das redes sociais e agora está para gravar seu primeiro álbum, mas aí ela perde a voz e o medo de perder tudo faz com que ela se sinta totalmente perdida e desesperada...

Harum é um jovem muçulmano de família bastante tradicional e está sempre fazendo de tudo para ser o filho perfeito... só tem um problema, ele é gay e não teve coragem de "sair do armário" até agora, isso causou muito sofrimento ao jovem e fez com que seu namorado, James, terminasse tudo entre eles... agora a sua família espera que ele embarque em uma viagem ao Paquistão e volte de lá em seis semanas com uma esposa...

Nathaniel é um jovem literalmente perdido em Nova Iorque, e tem o passado mais misterioso entre todos os personagens, é um rapaz muito bonito e tem uma prótese ocular em um dos olhos... seus flashbacks são terrivelmente tristes e descobrimos como foi dura sua vida até ali, tendo sido criado apenas pelo pai que tem todos os sinais de uma grave doença mental...

Os três jovens se encontram e passam o dia todo juntos e acabam de uma forma ou outra se abrindo, contando coisas que nunca falaram para ninguém e até de certa maneira se salvando...

Creio que o que mais me desagradou foi a ideia de aquele foi apenas um dia na vida dos personagens, como se você passasse um dia na vida de uma pessoa aleatória, um dia muito importante, talvez até o dia mais importante de sua vida, um dia que vai mudar toda a trajetória da vida dela a partir daquele ponto... mas é só... e eu sou o tipo de leitora que adora epílogos, adora livros em que o último capítulo tem a frase: "Dez anos depois..."

Pelas avaliações que o livro teve no skoob e no goodreads já percebi que minha opinião é a minoria, a maioria esmagadora dos leitores está adorando o livro e tecendo ótimos elogios, o que eu considero muito bom, sinal que todos precisam ler e tirar suas próprias conclusões e a minha é apenas uma entre tantas outras... agora eu fiquei em um dilema, devo ou não ler outros livros da autora? 

1 comentários:

Deixe seu comentário