Encarcerados: Fuga de Furnace #1 - Alexander Gordon Smith

Sinopse: De um dia para outro, Alex Sawyer passou de valentão a delinquente juvenil. Os trocados arrancados dos garotos na escola já não eram suficientes, e, com a ajuda de seu melhor amigo, Toby, começou a cometer pequenos furtos na vizinhança. Até que uma noite, homens fortes, de terno preto, e um esquisitão usando uma máscara de gás cruzaram o caminho dos dois. Toby foi cruelmente assassinado e Alex, preso e acusado pela morte do amigo. Seu novo lar? A Penitenciária de Furnace, um buraco – literalmente – para onde todos os garotos condenados são enviados, e de onde só é possível sair morto. Com guardas sádicos e criaturas terríveis responsáveis pela segurança, Furnace é o inferno. O lugar é infestado de criminosos – como as perigosas gangues Caveiras e os Cinquenta e Nove –, mas também há muitos garotos que, como Alex, foram presos por crimes que não cometeram. Como escapar e provar sua inocência? Em quem confiar? O que na verdade era Furnace: um reformatório? Um depósito? Ou, pior, um laboratório maligno?

Título: Encarcerados: Fuga de Furnace
Autor: Alexander Gordon Smith
Editora: Benvirá
Ano: 2012
Páginas: 296

Aqui temos um protagonista dos bons, o Alex Sawyer. Sem muito "mimimi", Alex é um personagem completo apesar de cometer suas escolhas erradas, mas isso é normal em qualquer enredo, caso contrário não haveria um. 

O livro começa apresentando o personagem, que é o bad guy da história. Alex durante toda época de colégio foi o garoto que batia nos mais fracos/nerds e os roubava. Anos depois, começou a invadir casas com seu melhor amigo Toby, porém em uma dessas invasões algo deu extremamente errado.

THE OSCARS 2017 - Os indicados que todo mundo já deveria ter assistido


A 89º cerimônia de entrega do Academy Awards, mais conhecido como Oscars, acontece neste Domingo (26 de fevereiro). Esse ano a cerimônia será apresentada pelo Jimmy Fallon. Aqui no Brasil, a cerimônia será transmitida ao vivo pelo canal da tv fechada TNT a partir das 21h, já na tv aberta a Globo que é atual detentora dos direitos de transmissão, não transmitirá a premiação ao vivo e apenas na segunda (dia 27) exibirá um compilado com os melhores momentos às 15h20. Pela internet, o E! como já é tradição, exibirá o tapete vermelho a partir das 19h30 e a festa pós-premiação na madrugada da segunda (dia 27) a partir das 01h30.

A sensação da temporada "La La Land" lidera com 14 indicações (igualando o recorde de Titanic e A Malvada), e logo após  vem "Moonlight" e "A Chegada" com 8 indicações. Esse ano foi cheio de surpresas, desde a inesperada superioridade em premiações de "La La Land", as diversas surpresas nas categorias de atuação até a indicação de "Esquadrão Suicida" em Melhor Maquiagem. Para acessar os 62 indicados em todas as categorias, clique aqui.

Simplesmente o Paraíso - Julia Quinn

Há quase vinte anos o sobrenome Smythe-Smith é sinônimo de música desafinada. Ainda assim – talvez por pena, talvez por surdez – a sociedade londrina continua a se reunir anualmente para assistir ao catastrófico concerto das jovens solteiras da família.
Honoria Smythe-Smith sabe que, para ser uma violinista ruim, ainda precisa melhorar muito…
Mesmo assim, nunca deixaria de se apresentar no concerto anual das Smythe-Smiths. Ela adora ensaiar com as três primas para manter essa tradição que já dura quase duas décadas entre as jovens solteiras da família. Além disso, de nada adiantaria se lamentar, então Honoria coloca um sorriso no rosto e se exibe no recital mais desafinado da Inglaterra, na esperança de que algum belo cavalheiro na plateia esteja em busca de uma esposa, não de uma musicista.
Marcus Holroyd foi encarregado de uma missão…
Porém não se sente tão confortável com a tarefa. Ao deixar o país, seu melhor amigo, Daniel, o fez prometer que vigiaria sua irmã Honoria, impedindo que a moça se casasse com pretendentes inadequados. O problema é que ninguém lhe parece bom o bastante para ela. Aos olhos de Marcus, um marido para Honoria precisaria conhecê-la bem (de preferência, desde a infância, como ele), saber do que ela gosta (doces de todo tipo) e o que a aflige (como a tristeza pelo exílio de Daniel, que ele também sente). Será que o homem ideal para Honoria é justamente o que sempre esteve ao seu lado afastando todo e qualquer pretendente?
Com seu estilo inteligente e divertido, Julia Quinn enfim apresenta ao público o Quarteto Smythe-Smith, o terrivelmente famoso e adoravelmente desafinado grupo musical que conquistou os leitores antes mesmo que as cortinas se abrissem para ele.
Título: Simplesmente o Paraíso
Autor: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Ano: 2017


Ao longo de toda série Os Bridgerton um evento social marcou cada um dos livros, o concerto anual das Smythe-Smiths... em quase todos os livros, os protagonista iam a esse evento, já li sobre elas tantas vezes e fiquei muito feliz quando a Editora Arqueiro anunciou que lançaria um box com 4 livros sobre o quarteto...

Ninfeias Negras - Michel Bussi

Giverny é uma cidadezinha mundialmente conhecida, que atrai multidões de turistas todos os anos. Afinal, Claude Monet, um dos maiores nomes do Impressionismo, a imortalizou em seus quadros, com seus jardins, a ponte japonesa e as ninfeias no laguinho.
É nesse cenário que um respeitado médico é encontrado morto, e os investigadores encarregados do crime se veem enredados numa trama em que nada é o que parece à primeira vista. Como numa tela impressionista, as pinceladas da narrativa se confundem para, enfim, darem forma a uma história envolvente de morte e mistério em que cada personagem é um enigma à parte - principalmente as protagonistas.
Três mulheres intensas, ligadas pelo mistério. Uma menina prodígio de 11 anos que sonha ser uma grande pintora. A professora da única escola local, que deseja uma paixão verdadeira e vida nova, mas está presa num casamento sem amor. E, no centro de tudo, uma senhora idosa que observa o mundo do alto de sua janela.


Título: Ninfeias Negras
Autor: Michel Bussi
Editora: Arqueiro
Ano: 2017
352 páginas



"O crime de sonhar eu consinto que seja instaurado"

Estou simplesmente impressionada (sem trocadilhos com os pintores impressionistas) com o final deste livro. A história é orquestrada de tal forma que realmente fica difícil prever o desfecho da obra. Mas ela consegue nos atingir.

Ninfeias Negras se passa na França, em Giverny, um dos vilarejos mais lindos do mundo (e viagem dos sonhos para qualquer um que aprecie a arte ou a pratique - minha mãe, por exemplo) e local em que um dos maiores pintores impressionistas Claude Monet pintou as suas Ninfeias.

A Ponte Japonesa, de Claude Monet - criada em 1920 -1922.


Se você não sabe nada sobre Monet, o Impressionismo ou Giverny, vai terminar o livro quase um expert do assunto. 

E é nesse cenário idílico que Jérôme Morval, o oftalmologista da cidade, é encontrado morto. A partir daí, o investigador Laurenç Sérénac e seu assistente Sylvio Bénavides vão tentar ligar os pontos para descobrir o assassino. Enquanto tudo isso acontece, acompanhamos também as vidas da pequena prodígio Fanette, a linda e entediada professora Stéphanie e a misteriosa idosa que sabe de tudo o que acontece ali.

Isso durou treze dias. O tempo de uma fuga.
Três mulheres vivendo num vilarejo.
A terceira era a mais talentosa; a segunda, a mais esperta; a primeira, a mais determinada.
Na sua opinião, qual delas conseguiu escapar?
A terceira, a mais novinha, chamava-se Fanette Morelle; a segunda, Stéphanie Dupain; a primeira, a mais velha, era eu.
Página 32
É incrível como tudo se conecta perfeitamente sem que você faça a menor ideia. Até quase o final, você passa o livro completamente perdida em suposições, pistas que não vão a lugar nenhum, desconfianças de quase todos os personagens e mergulhada nas belezas estonteantes da cidadezinha, da poesia dos momentos e dos sentimentos dos personagens.

1 página de cada vez - Adam J. Kurtz

Sinopse: “Pense em alguma coisa que deixa você inseguro e escreva o que é em letras enormes. Use o espaço todo! Olhe bem para o que você escreveu. Agora vire a página.” No seu primeiro livro, o artista gráfico americano Adam J. Kurtz usa provocações divertidas como esta para fazer o leitor refletir sobre sua vida ao mesmo tempo em que testa a própria criatividade. Como o título diz, cada página traz uma brincadeira diferente. Pode ser uma pergunta, uma sugestão de desenho ou um pedido para que você crie uma lista de músicas para seu amor verdadeiro ou das melhores fatias de pizza que comeu na vida. O autor também pede para o leitor colar objetos inusitados nas páginas do livro e compartilhar nas redes sociais algumas das anotações feitas nele. Uma maneira espirituosa e lúdica de buscar o autoconhecimento.
 Título: 1 página de cada vez.
Autora: Adam J. Kurtz.
Editora: Paralela.
Ano: 2014.
Páginas: 368.

Classificação:

Gente eu sou a louca dos livros interativos, quem me conhece sabe, se deixar eu compro todos, eu acho incrível a ideia de ter um livro 'em branco' pedindo para você fazer certas coisas. (souumpoucoloucaserá?)
Hoje eu vim mostrar o 1 página, é um livro lindo, assim como o Destrua este Diário, que eu também tenho e amo, depois trago a resenha dele para vocês também. 
Mas hoje, vêm conhecer o 1 página de cada vez: